Crossdresser

O que é?

Esse é um assunto que poucos conhecem e costuma causar estranheza quando as pessoas têm contato com o assunto, o que normalmente vem acompanhado com preconceito ou idéias errôneas sobre o tema.

O termo crossdresser ou cross-dressing (cross: cruzar e dressing: roupa), como não há uma tradução desse termo para o português, ele quer dizer pessoas que gostam de usar roupas típicas do sexo oposto. É muito mais comum homens desejando usar peças de mulher que o contrário.

Aspectos psicológicos

Como psicólogo, falarei nesse texto sobre os aspectos psicológicos que envolvem esse assunto.

Sempre recebo perguntas por e-mail ou mesmo pessoas em meu consultório apresentando questões relacionadas ao crossdresser. Tais questões são acompanhadas, normalmente por sofrimentos, principalmente por falta de conhecimento próprio e/ou de quem convive com a pessoa.

O e-mail abaixo que recebi de um homem de 40 anos, ilustra um pouco do que me refiro:

“Oi Dr. tudo bem? sou casado há 10 anos, antes mesmo de ser casado já tinha este desejo louco por calcinha sempre gostei de usar,quando casei deixei de usar um tempo. Mas depois veio a vontade de usar, foi então que tive que contar para minha esposa. Foi difícil para ela aceitar, até que acabou aceitando. Só que um belo dia ela disse que não aguentava mais aquela situação e disse ou você para ela contaria para todo mundo. Então depois desta chantagem dei um tempo, ai comecei a usar escondido pois não consigo para de usar, não cinto atração por homem apenas um desejo incontrolável de usar calcinha. Tenho certeza que não sou gay. Não sei mais o que fazer, por favor me ajude.”

O sentimento

Por falta de pesquisa sobre esse tema, não temos dados consistentes na literatura para falarmos em porcentagem. Por isso aqui me referirei a dados quantitativos com base empíricas.

Na grande maioria dos casos se referem a homens que desejam usar roupas típicas de mulher, em especial as íntimas, como calcinha, cinta liga, por exemplo. Mas além das lingeries, também há muitos que gostam de vestidos, meia calça, sapatos, pulseiras, brincos e mesmo a maquiagem.

No relato dessas pessoas, fica claro o prazer que envolve essa prática. Em muitos casos o prazer é solitário: “Eu como não posso falar para ninguém dessa minha vontade, muitas vezes eu coloco a calcinha e vou trabalhar. Só eu sei, e isso já me excita, me dá prazer.” Por outro lado, a vontade de compartilhar com pessoas desse assunto é um desejo comum. Do mesmo modo como é comum falarmos de coisas que nos excitam no sexo, e se esse comportamento (de falar) se mantém, é porque sempre que falamos sentimos a sensação de prazer, de bem estar, porque é gostoso. No caso dos crossdresser, ocorre o mesmo, porém, com a dificuldade de encontrar pessoas que entendam, compartilhem dessa mesma emoção ou no mínimo não critique ou não tenha preconceito.

É muito difícil andar fora daquilo que é visto pela sociedade como "normal". Por isso quando tais pessoas não podem ter essa vivência, começa então o sofrimento.

Conceitos equivocados

É muito comum as pessoas leigas ou profissionais como psicólogos e médicos associarem o crossdresser a travesti, ao homossexual ou sem-vergonhice.

O crossdresser não tem o desejo de fazer plásticas e colocar silicone no corpo modelando-o para parecer uma mulher, como é o caso do travestis, o prazer estar em se vestir com roupas de mulher.

Também não é verdade que todo crossdresser é homossexual. Aliás, esse é um conceito muito equivocado, pois o homossexual não tem vontade de ser mulher. Além disso, querer se vestir como uma mulher e se excitar com isso, não são características da homossexualidade.

Porém há crossdresser que também são homossexuais, mas uma coisa não está relacionada à outra.

Possíveis problemas

Um dos possíveis problemas passa a existir para essas pessoas, quando esse comportamento se caracteriza a única forma de se obter prazer sexual. Quando essa pessoa perde muito tempo, do seu tempo útil, pensando em meios para vivenciar esse prazer. Quando a relação com a parceira (o) deixa de ser vivenciada de modo saudável por casa dessa questão.

Ajuda

Por falta de informação, muitos sofrem, e esse sofrimento acaba atrapalhando outros setores da vida da pessoa.

É muito importante que a pessoa procure ajuda especializada para entender o que porque do sofrimento ou mesmo o porquê dessa forma de obter o prazer e assim encontrar meios para resolver as questões que causam o sofrimento.

Contato

  • (11) 5092-3898
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail