Destaques

  • Estamos juntos a alguns anos e sinto muito prezer quando imagino ele com outra, até que um dia revelei esse desejo e pedi para ele realizar... Mas não consigo me entender, ao mesmo tempo que deliro de prazer com isso, sinto uma enorme tristeza quando o "prazer" desaparece de minha mente, fico cheio de neura achando que se ele topou realizar é porque não me ama, mesmo ele garantindo que ama, enfim é como se eu fosse duas. Me ajude a compreender como isso pode ser normal, na cama quero ele com outra e fora da cama sou ciumenta e fico triste de saber que isso ira acontecer, e pior pq eu quiz !??? me ajude!

    Dalia, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Dalia.
    Essa vontade é mais comum do que você imagina. Não sesinta mal por isso. No entanto é importante fazer uma separação entre fantasia e a realização da fantasia. Em muitos casos, a realização é uma delícia e não gera mal estar, mas há outras que são interessantes que fiquem só no âmbito da fantasia. 

    Em alguns casos, Dalia, é bom investigar o porque de algumas fantasias, elas podem ser bem saudáveis, bem como, podem revelar alguma questão conflituosa na pessoa ou na relação do casal.

    Outra coisa que deixa muitas mulheres preocupadas, é a associação dessas fantasias com o amor. São coisas diferentes, principalmente para a maioria dos homens, não há essa associação. Por isso, porde ser mais interessante separar essas duas coisas.

  • Sou casada há seis anos e nunca traí meu marido, ultimamente ele vem com uma conversa estranha, quer que eu transe com outro homem na frente dele e ainda o chame de corno. Agora ele só consegue ficar exitado ou ejacular quando se toca neste assunto. Isso é normal ou ele precisa de ajuda? Aguardo anciosamente a resposta.

    Noemy, 40 Anos - Ver Resposta

    Olá Noemy.
    Parece que esse pedido dele deixou você assustada, não é?
    Pois bem, essa é uma prática que tem aumentado cada vez mais. Para algumas pessoas isso é uma boa fonte de excitação e prazer, para outras essa é uma questão fora de cogitação. Então, qual está certa? Essa é uma questão muito particular de cada um.
    É importante saber qual a função desse desejo dele. Bem como é importante saber se essa é uma questão que você estaria disposta a praticar, se isso irá ou não violentar seus princípios.
    Muitos casais encontram nessas práticas sexuais, uma forma de "apimentar" a relação. Eu percebo que alguns desses casais que chegam a meu consultório trazendo essa questão, que de fato eles estão com o relacionamento, de certa forma insatisfatório. Assim, essa prática de sexo a três, troca de casais ou mesmo o swing, são formas que alguns encontram para manter a relação.
    Se esse for o caso, é importante que o casal procure ajuda de um psicólogo de casal, para juntos descobrirem onde está a deficiência na relação e resolverem.
    Por outro lado, para alguns casais, essas práticas são apenas uma aventura e nada mais.
    A você Noemy, cabem algumas questões: como você se sente com essa idéia? Essa é uma questão que te agredirá? Você faria isso apenas para manter a relação?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Me chamo Julia, tenho 34 anos e descendência caucasiana. Namoro, há 05 anos, Fabio, de 42 anos, de descendência oriental. Praticamente moramos juntos. Ele me ama muito, é parceiro pra todas as horas, amoroso, carinhoso, responsável, respeitoso, presente, cozinha bem, e tenho certeza que será bom pai, porém, minha vida sexual é absolutamente frustrante. Nos conhecemos num bate-papo pela internet e estamos juntos desde então. Ele fala sobre casar e seu sonho de ter uma filha. Eu também quero ter família. Fato é que quando nos conhecemos, o primeiro beijo foi dado por mim, e ele, desde o começo, nunca teve iniciativa sexual, fui sempre eu quem tomou a frente. Como ele é um homem de muitas qualidades, eu sempre relevei esse nosso problema sexual, mais, esse assunto tem me incomodado tanto a ponto de não ter certeza sobre a continuidade do nosso namoro. Como se não bastasse, ele broxa, e não é pouco. Ele sente prazer. Já conversei sobre isso com ele, perguntei se ele tem interesse sexual por mim, ele diz que sim. E pergunto porque ele não me procura, ele diz ser o jeito dele – eu sou assim – acho que ele não é gay, também acho que não tem outra. Claudecy, gostaria de saber sua opinião. Obrigada.

    Julia, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Julia.
    Essa resposta dele é interessante - sou assim - Isso é verdade, assim como ele é assim, você e eu sonos de outra forma. A questão complica quando nos relacionamos com outra pessoa e essas diferenças gritam. O que parece ser o seu caso. O que é importa em casos assim é o quanto estamos dispostos a mudar para uma relação mais saudável. Não quando isso não acontece, nós ficamos tristes, mal, frustrados e isso não é nada bom. Vale muito à pena olhar com carinho para sua felicidade.

  • SOFRO DE COMPULSÃO ALIMENTAR DESDE A INFÂNCIA. JÁ FIZ VÁRIOS TRATAMENTOS MÉDICOS E PSICOLÓGICOS MAIS NADA RESOLVE. SOFRO MUITO COM ISSO. ALÉM DISSO TENHO COMPULSÃO POR ROER UNHAS TAMBÉM DESDE A INFÂNCIA. NECESSITO ESCLARECIMENTOS E AJUDA. GRATO.

    Wellington, 28 Anos - Ver Resposta

    Oi Wellington. Eu entendo que você esteja sofrendo. Eu percebo isso nas pessoas que apresentam essa relação com a comida.
    Que bom que você já procurou por ajuda. Mas se não seu certo, existem duas possibilidades para isso: os profissionais não são especialistas no assunto e por isso não conduziram como deveriam ou os existem fatores muito fortes que representam ganhos para você aponto de você se manter nessa condição.
    Seria importante você tentar outros profissionais, quem sabe com abordagens diferentes, e que sejam pessoas especializadas nos transtornos alimentares.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sinto prazer em ver minha mulher andando com roupas curtas, saias, decotes e homens a olhando e desejando... isto me consome, me deixa extremamente ecitado. Somente consigo ejacular quando penso que ela está com outro homem... Isto está me fazendo mal, não quero uma vida assim, o que devo fazer para parar com estes pensamentos? Preciso de sua ajuda, Muito obrigado.

    Anonimo, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá.
    Qualquer coisa boa, em excesso, pode ser ruim. E me perece ser o seu caso. Pois o que era para ser apenas uma fantasia prazerosa está se transformando em algo pesado e problemático para você.
    Por você não estar conseguindo sair dessa situação sozinho, é importante que você paça ajuda, que é o que você já está fazendo, mandando essa mensagem para mim. Porém, é preciso conhecer você de modo mais amplo para ajudá-lo de modo mais eficiente, por isso é preciso que você vá a um psicólogo, de preferência que seja especialista em sexualidade para dar melhores condições para você sair dessa.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado Dr Saudações! Como coloquei sou amasiada a 03 anos, com um homem com 59 anos, o qual super viril e que sempre me satisfez a contento. Ocorre que o mesmo sempre gostou que o acariasse no anus com o dedo. Se não bastasse, ele comprou um penis medindo 17X3,5 cm em cyberskin para que eu o penetre. Gostaria muito que o Dr me informasse se é normal ou não, este desejo de meu companheiro, ou o que devo fazer, de que forma devo proceder? pois nos amamos muitissimo e sempre nos realizamos em todos os sentidos sexualmente Estarei ans.iosa por sua breve resposta! Desde já, fico muito grata.

    Monica, 41 Anos - Ver Resposta

    Oi Mônica.
    Eu entendo que isso confunde muito as pessoas. Porém, talvez a sua dúvida esteja relacionada a ele ser ou não homossexual. Isso não necessariamente significa que ele seja gay. Muitos homens sentem prazer na região anal e são heterossexuais. Essa região no homem e na mulher são iguais, dotadas de muitas terminações nervosas, por isso, muito sensível. Se a mulher pode sentir prazer na região anal, por que o homem não pode? Isso está muito associada a preconceito e ao sexo gay. Mas o caminho não é por aí.
    Porém, percebo que você está incomodada com essa questão. Porém vale refletir sobre o que de fato está incomodando: se é a possibilidade de uma homossexualidade ou o "nó" na sua cabeça de penetrá-lo.
    Se há o incômodo, converse com ele e exponha seus sentimentos, quem sabe assim você resolvam esse mal estar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Desde adolescente me masturbo compulsivamente todos os dias. Nao acho a coisa ruim pelo ato em si, mas o que me incomoda e´ a compulsao. Perco horas todos os dias, muitas vezes nao estou excitado mas o vicio e´ tal que nao durmo antes de satisfazer a compulsao. Muitas noites chego em casa exausto com o corpo pedindo descanso apos um dia extenuante de trabalho, sao 22h-23h mas fico vendo TV em busca de imagens eroticas e quando vejo ja sao 1h-2h da madrugada. Sinto que este habito me tira tempo que seria util para estudar, ler, fazer outras coisas uteis, ou simplesmente dormir melhor. Hoje sou separado, fui casado por quase 20 anos, e este habito sempre me acompanhou sem muito problema. Nos ultimos meses porem tenho me sentido mal apos a masturbacao nestas condicoes, tenho sensacao de frustracao e nao de satisfacao apos a ejaculacao. E este sentimento de nao controlar meus impulsos e´ muito ruim, nao ter controle sobre minha vontade. Devo me conformar como algo normal ou devo buscar ajuda? Faco terapia mas nao tenho coragem de tocar este tema com a psicologa.

    Jorge, 43 Anos - Ver Resposta

    Oi Jorge, perceba que sua relação com a sexualidade tomou proporções que fogem do qe chamamos de saudável, pois está te prejudicando, você está deixando de fazer coisas importantes para se dedicar ao sexo.
    Seria muito importante você ter um acompanhamento de um terapeuta sexual e de um psiquiatra para adiministrar um medicamento para amenizar sua ansiedade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Primeiramente gostaria de agradecer em nome de todas as mulheres q sofre de vaginismo por vc Claudecy nos dar esse espaço,onde podemos compartilhar nossas dor. A minha história é bem interessante, eu fui casada durante 3 anos, e durante esse tempo nunca tive uma penetração, a minha ida ao ginecologista era quase semanalmente pois a médica queria me ajudar de alguma forma mas ñ conseguimos, e na minha cidade ñ tinha sequer um profissional especializado nessa área, durante esse tempo contrair HPV, o meu marido havia me traído ñ aguentava mais conviver com a situação,e tb nunca procurou me ajudar ao contrário dizia q eu era doente e perguntou certa vez a médica se ñ existia uma cirurgia p/ rasgar tudo. Bem, nosso relacionamento acabou depois de 3 anos, depois de 1 ano separada encontrei um namorado numa boate, foi uma encontro casual,passando-se 3 dias q eu o tinha conhecido fomos p/ o motel, durante o trajeto até chegar no motel, estava desesperada ñ sabia se contava ou ñ meu problema, estava muito aflita e sabia q a decepção viria. Quando chegamos no quarto quase q contava, mas ele interrompeu com beijos, foi quando ele tirou minha roupa e fez um sexo oral magnifico,tão maravilhoso q relaxei o corpo todo dai quando ele foi penetrar ajeitou minhas pernas, e com a mão bem devagarinho penetrou o pênis, foi tudo maravilhoso fiquei surpreendida com a penetração quase ñ acreditava no q estava acontecendo. Enfim, passamos 2 anos juntos e o sexo foi maravilhoso, mas o relacionamento acabou. Passou-se 1 ano q terminamos o namoro, estou com um novo namorado, esse ja conhecia há anos porém só agora nos apaixonamos,temos uma intimidade maravilhosa conversamos muito antes de ir p/ cama, falamos sobre nossas fantasias, massagens, um monte de coisas rimos muito juntos, fomos comprar óleo de massagem juntos, roupas íntimas etc....só nunca tinha falado p/ ele o q tinha acontecido com o sexo no meu casamento. Bem, com tudo planejado depois de 1 mês juntos e muitos apaixonados fomos p/ o motel e p/ minha maior surpresa foi um desastre, sentir a maior dor e ñ tinha jeito p/ penetrar,até o sexo oral me incomodava, foi quando no outro dia procurei a ginecologista p/ fazer os exames, deu tudo normal, e ja estamos há 7 meses juntos e nada de penetração,sinto tudo o q sentia na época de casada, estou desesperada pq ñ há profissional especializado na cidade em q moro, meu namorado vive pesquisando sobre o assunto, mas ñ há nada q possa nos ajudar, conversamos bastante, ele é muito compreensivo, ja fomos p/ 8 ginecologistas e nenhum pode nos ajudar,sinto q meu namorado está cada vez mais perto de mim, e muito preocupado com tudo isso, estamos sofrendo muito juntos. Por favor, Claudecy q explicação existe p/ isso?

    Mariana, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Mariana.
    De fato sei que o sofrimento é grande. Também sei que existe uma carência de especialista em muitos lugares.
    A explicação para seu problema é que ele não foi de fato resolvido. Apenas foi mascarado.
    O vaginismo é 100% de fundo psicológico. Infelizmente algumas pessoas, inclusive profissionais sugerem métotos sem o menor respaldo científico como, cirurgias, anestésicos... Sabemos que nada disso resolverá o problema.
    Mariana, sempre estou me atualizando com literaturas científicas e participação em congressos, mas infelizmente não conheço outra maneira de resolver essa questão que não seja por um psicólogo que entenda de fato desse assunto.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • olá! estou vivendo uma situação confusa em meu relacionamento,estou casada a uns 3 anos e tenho uma filha de 2 meses, sempre fui uma mulher fogosa e antes de engravidar eu e meu marido transavamos frequentemente e ele tinha muito desejo e era muito fogoso. depois que minha filha nasceu ele simplismente mudou vejo que ele não sente desejo por mim nem tesão nada, tenta disfarçar quando o procuro e da pra contar as vezes que fazemos sexo eu continuo cada vez mais com muita vontade só que estou ficando frustrada pois ele sempre diz que não sabe o que está acontecendo e nunca tá com vontade, eu sinto falta de transarmos que nem antes não sei o que fazer tenho muito tesão mas vejo e sinto que ele não, ele sempre se empenhava para me dar prazer e agora parece que só transa por obrigação e de vez em quando. O que pode estar acontecendo li que o homem pode passar a enxergar a mulher depois que tem filho como mãe do seu filho e não mais como mulher é verdde? estou realmente preocupada pois não aguento ficar sem sexo e estou me sentindo rejeitada por ele.

    Polaka, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Polaka.
    Sim, é comum, mas não uma regra, o homem mudar sua visão sobre a parceira de mulher para mãe. Porém cada caso precisa ser investigado individualmente. Existem outros fatores além da questão do filho ou de que ela agora é mãe. Por exemplo, na minha experiência clínica, eu percebo muito mais aspectos na parte comportamental da mulher que contribui para essa mudança no desejo.
    Há casais que como nascimento dos filhos passam a se referir ao outro como papai ou mamãe. Isso é um grande erro. Outro erro muito comum é permitir que o filho durma junto como casal. Isso é ruim para o casal e para o crescimento saudável do filho.
    Sugiro que vocês conversem francamente e caso não consigam mudar, procurem um psicólogo para ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sara Simas, 18 anos - Lisboa - Portugal Olá...eu namoro com o meu namorado há uns meses e temos vindo a tentar estabelecer uma relação sexual mas parece-me que a penetração é dificil, parece-me mesmo que não há possibilidade de passagem. Gostaria de saber se o vaginismo é um problema com solução e, caso exista gostaria de saber qual é. Gostava também de perguntar se é normal que sangremos mais do que uma vez durante a tentativa de penetração, se é uma situação grave e se tem solução também. Muito Obrigado pelo esclarecimento de dúvidas. Com os melhores cumprimentos aguardo resposta.

    Sara Simas, 18 Anos - Ver Resposta

    Olá Sara como vai?
    Todas essas questões têm tratamento, inclusive o vaginismo.
    Porém é necessário você procurar um ginecologista para ser ver se existe alguma questão orgânica, e depois um psicoterapeuta sexual para fazer um diagnóstico e assim saber o que está acontecendo, e então poder ajudá-la.
    Na maioria das vezes Sara, essas dificuldades sexuais são desencadeadas por
    questões emocionais que estão envolvidas. E muitos casos as pessoas se
    perguntam: Mas se eu quero tanto uma coisa, por que não consigo? É então que
    surge a necessidade de investigar o que está acontecendo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

Contato

  • (11) 5092-3898
  • (11) 93800-4469
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail