Destaques

  • Oi, minha primeira relação sexual foi com 21 anos, senti muita dor, mas foi completa. Cheguei a falar com minha ginecologista que disse para não me preocupar. Na segunda vez, não consegui relaxar e não houve penetração. Fiquei muito mal, e passei muito tempo sem querer sexo. Só tive uma relação completa, sem nenhuma dor, uma única vez, com um cara que mal conhecia. Depois disso tive 1 namorado, mas nunca nem tentei sexo com ele. Mas com meu último namorado, que me dava a maior segurança, deixei meu medo de lado, tentamos muitas vezes, mas não conseguíamos. É lógico, o namoro acabou. Daí fui falar com minha ginecologista, perguntei sobre o vaginismo, ela me disse que bastava usar um anestésico local. Tentei e não consegui. Não tenho nenhuma dificuldade no exame ginecológico. Por favor, me dê uma luz!

    Silvia, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Silvia.
    Eu fico muito decepcionado com tais comentários de alguns profissionais. Isso de passar um anestésico antes da relação, ouço com certa freqüência e fico triste, pois mostra como alguns profissionais não estão preparados para lidar com questões como essas.
    Ao pedir para usar um anestésico, o profissional simplesmente ignora todo histórico de vida da pessoa, bem como sua interação social e familiar, que, é onde encontraremos a resposta e solução para questões como essa.
    Assim é possível dizer que medicamentos, como um anestésico ou qualquer outro, não terão efeito sobre tais aspectos.
    Silvia, será necessário você buscar um terapeuta sexual, que é o especialista em sexualidade, para tratar essa sua queixa. Mas é bom lembrar que esse sintoma que você está apresentando, é uma manifestação que outros aspectos na sua vida estão precisando de atenção, que talvez você não esteja se dando conta disso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Me ajuda...namoro a 8 meses, ja tentamos várias. Vezes ter relação. Sexual, mais o meu pavor maior é a penetração. Fui no ginecologista, ela fez papanicolau e disse que meu homem ja estava rompido. Eu não sei o que faço mais, pois o desejo é muito grande. Eu não sei com quem me tratar. Minha pressão. Abaixa só de pensar, até. Pra fazer um tratamento. Com gynax eu me desespero, consegui uma vez. Me ajudaaaaa...obrigada desde ja...

    Camila Mendez, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Camila. Que bom que você resolver procurar ajuda especializada.
    Eu entendo que essa dificuldade com a penetração é muito ruim e atrapalha seu desenvolvimento.
    É preciso investigar o motivo para esse medo de ser penetrada. Esse é o primeiro passo. Os motivos para esse medo são vários, que pode ter origem orgânica ou emocional. Como a orgânica já foi descartada pelo ginecologista, então é preciso investigar a psicológica. Por isso, ir a um psicólogo especializado em sexualidade, vai ajudar muito.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Claudecy! Estou namorando um homem da minha idade há 4 meses.Estou atravessando um conflito, pois ele gosta de frequentar lugares ,tipo boates com salas pra casais em que ele quer me ver transando com outro homem...nesses 4 meses é a 2ª vez que vamos a esses lugares e sempre rola uma briga antes,pois não é minha vontade, mas acabo cedendo...Por mim preferia algo entre nós dois.Acabo fazendo pq ele gosta,porém não vai de acordo com minha vontade.Percebo agora que essa situaçao nao vai mudar,pq invariavelmente ele vai querer ...O que fazer?Gosto muito dele.

    Deyse, 47 Anos - Ver Resposta

    Olá Deyse.
    Essa é uma situação muito comum e se torna delicado por envolver um sentimento pelo outro.
    Ter um relacionamento onde você tem que se violentar para satisfazer os desejos do seu parceiro - que nesse caso parece ser muito egoísta - na qual ele não se importa com seus sentimentos, seus valores, acredito que seria muito importante você rever seu papel nessa relação, já que você diz que ele não vai mudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho 47 anos,sou casado a 20 anos estou com dificuldade para ejacular,minha ereção e normal acabo me masturbando por não conseguir ejacular na minha relação!!!! que devo fazer...tem tramento ou é psicologico

    Sergio, 47 Anos - Ver Resposta

    Oi Sergio.
    É preciso investigar com mais detalhes. Porém, casos semelhante ao seu relato, aparecem muito para os terapeutas sexuais tratarem. Com bases nesses casos, o que percebemos é que essa questão é psicológica, pois a pessoa tem dificuldade de ter contato com as emoções do momento.
    Seria muito bom você procurar um especialista.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Na infancia:fui molestada por um longo periodo,devido a alterações no meu comportamento sem saber o que se passava minha mãe me levou a fazer tratamento psiquiatrico,o médico me tocava todas as vezes que me examinava.Hoje sou casada,tenho 39 anos,4 filhos. Mas para atrapalhar meu marido todas as vezes qaue temos relação me toca ou tenta a relação anal,e isso tem diminuido meu interesse sexual, e em 90% de nossas relações só consigo chegar ao orgasmo se me imagino tendo relação com outra pessoa,muitas vezes mulheres e eu nunca tive nenhum relacionamento ou interesse por mulheres, e quando me imagino com outro homem este sempre está abusando sexualmente de mim,em seguida me bate uma angustia e uma sensação de vergonha e medo. Help o que fazer para ser uma pessoa normal

    Simone, 39 Anos - Ver Resposta

    Olá Simone.
    Que bom que você está procurando ajuda. Não dá para viver assim e você tem direito de ser uma pessoa que vivencie a sexualidade de modo saudável.
    Pelo seu relato, esses abusos que você sofreu ao longo da sua vida deixaram marcas.
    Quando você fala que nunca desejou mulher, mas que ao fantasiar com mulheres sente prazer, isso não necessariamente significa que você seja homossexual ou bissexual. Muito provavelmente o seu desejo por mulheres nessas situações, está mais relacionada ao que uma relação sexual com uma mulher pode proporcionar, como muito carinho, beijos, toques...
    Além disso, não podemos esquecer que quem sempre abusou de você foram homens, é normal então tão que você tenha uma relação com homens de modo bem diferente daquilo que de fato você quer.
    Por outro lado, quando você fantasia com homens, só consegue obter prazer se esses tiverem abusando de você. Isso foi o que ficou bem marcado de suas relações com homens: que eles sempre vão abusar de você.
    Para algumas mulheres que vivenciaram algo parecido, é muito comum a presença da culpa. Afinal, “como posso sentir prazer numa situação dessa?”
    O que importa agora, é que você está procurando ajuda para mudar tudo isso. Será muito importante que você procurem um psicólogo para trabalharem essas questões que tanto estão te incomodando, e assim você poder viver sua sexualidade de modo saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. sou casada há 1 ano e meio e meu relacionamento dura já mais de 3 anos, tenho uma filha de 1 ano. Amo muito meu marido, mas desde que tive o bebê não sinto mais desejo por ele. Sempre tive dor na relação, porém antes do parto eu sentia desejo sexual por ele, apesar da dor! hoje vivemos esses grande dilema; eu já procurei diversas respostas, conversei com meu médico e ele disse que depois da amamentação as coisas melhorariam, ele me deu algumas dicas, como por exemplo de que o intestino preguiçoso atrapalha na relação causando dor. Perguntei a ele se o remédio que eu estava tomando não diminuia a libido e ele me respondeu que muito pouco - tomo um anticoncepcional injetável chamado mesygina. Nenhuma dessas respostas convenceu meu marido que continuou insatisfeito e claro, eu também. Dias atrás eu não respondi com entusiasmo a uma de suas investidas o que lhe indignou e o fez sair do quarto e ir para a frente do computador - coisa que ele adora! não conseguindo dormir eu fui até ele, porém ele não me viu, fiquei deitada no sofá e comecei a observar o que ele fazia... o flagrei conversando com pessoas que não conhecemos, perguntas do tipo: vc gosta de homens mais novos? e ele começou a procurar videos na internet, até encontrar uma mulher fazendo streep tease, numa sala de bate papo, não consegui me conter quando ele começou a perguntar porcarias para ela, levantei-me e começamos a discutir.... em suma... estou muito magoada e não consigo nem ao menos cogitar a idéia de me entregar a ele novamente...... por favor me aconselhe. Não energo uma luz no fim do túnel... não quero que meu casamento acabe, até porque como eu disse: o amo muito. ps: desculpe pela carta!!!!!!!!!!! rsrsrsrsrsrs desde já agradeço.

    Daniela, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Daniela, pela sua descrição, é preciso arrumar várias coisas nessa relação. Vocês já estão colhendo resultados que não são recentes, mas sim, de antes de terem a filha.
    Seria necessário investigar o por que daquela dor que já existia desde o começo da relação. Muito provavelmente, com base no seu relato, essa dor não era de fundo orgânico.
    Hoje a relação está desgastada e precisando de ajuda profissional, pois do modo como está, será muito difícil vocês verem os próprios comportamentos que precisam mudar e como fazê-lo.
    Será necessário entender a origem de tudo isso e depois mudar alguns comportamentos inadequados, isso de ambos os lados.
    Procurem um psicólogo, de preferência que trabalhe com questões específicas relacionadas com sexualidade para ajudá-los a melhorar a vida de vocês. Talvez seja importante ver a necessidade de uma terapia de casal também, mas isso é o psicólogo que atender vocês quem irá orientar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá... Eu sofro de fobia social desde a infância, sempre fui tímido, mas nunca achei que fosse chegar a tal ponto. Hoje percebo a imensurável diferença entre mim e meus colegas da universidade, o que me fez procurar por ajuda. Tudo é difícil, mesmo conversar com as pessoas dentro de casa, com os poucos amigos que ainda tenho, bater papo na internet ou mesmo sair de casa. Em breve terminarei meu curso, mas mesmo tendo um emprego garantido, não tenho a menor confiança em mim mesmo e estou bastante desmotivado. Quando vejo um casal se beijando ou mesmo segurando as mãos, me dá vontade de sumir... de arrancar aquela cena da minha memória. Já estou tomando medicamentos, mas tenho muito pouco tempo livre para a T.C.C., pois tenho aula todos os dias, o dia todo. Até agora tem sido tudo em vão... não sei até quando vou aguentar. O que faço para começar a enfrentar essa timidez?

    Dr. X, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Dr.X.
    Eu entendo seu sofrimento. Já é muito bom você ter consciência de que precisa de ajuda.
    Entendo a sua dificuldade com o tempo, mas se quer resolver essa questão, terá que se dedicar a isso.
    Não resolver essa questão vai dificultar muito seu desenvolvimento saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Claudecy, Tenho 32 anos, sou casada há um ano e estou passando por um momento muito difícil na minha vida, estou fazendo tratamento psicologico para tratar o vaginismo e por enquaNTO não estou tendo nenhum resultado o meu marido quer me deixar e estou ficando desesperada o que posso fazer para acelerar o meu tratamento e obter resultados mais rápidos. Atenciosamente, Fabi

    Fabi, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Fabi.
    É delicada essa situação...
    Eu entendo o seu medo de perder seu parceiro. Apesar de eu não saber da história de vocês, proponho uma reflexão: se no momento em que você está precisando da ajuda dele, ele quer ir embora, valeria a pena investir nessa relação? Ele tem todo direito de não querer. Sei que tem seus sentimentos envolvidos, mas trabalhe essa questão na sua terapia.
    A outra questão, quanto a acelerar o tratamento, não é simples assim. Existem dois fatores que contribuem com o andamento do processo psicoterapêutico: a paciente e o psicólogo. Quanto ao segundo, é preciso conhecimento, se especializar no tema para conduzir o caso de modo que os resultados sejam satisfatórios. A primeira parte, no caso você, também é fundamental. É comum encontrarmos pacientes que chegam até os especialistas chorando, dizendo que querem muito resolver o problema, mas, quando começamos a desvendar a estrutura que está por trás do sintoma mantendo-o, a coisa pode mudar. É então que vemos alguns casos em que a pessoa não se comporta de modo condizente com a fala de querer resolver o problema. Em outras palavras, ocorre uma auto sabotagem. Não se dedicam como precisariam, não fazem o que pedimos... E em casos assim, o profissional deve alertar a pessoa do que está acontecendo. Isso ocorre porque em alguns casos o "ganho" de manter o problema é maior que o "ganho" de resolvê-lo. Pode parecer estranho e confuso, mas esse é um mecanismo muito comum a todos nós, nas mais variadas questões.
    Por fim, afirmo que essa pressão que seu marido está fazendo, deixa você mais aflita, angustiada e ansiosa, e todos esses sentimentos contribuem de modo muito negativo no seu processo para resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Gostaria de saber se existe algum outro tipo de transtorno alimentar que não seja a bulimia e a anorexia, pois eu limito muito o que como, chego a ficar um dia todo só com uma torradinha e sem almoçar ou jantar, ando bastante, danço e faço pilates. Todos falam que estou perdendo peso mais eu não consigo perceber isso. Chego a evitar de me olhar no espelho, pois me vejo deformada. Porem tem vezes que me alimento direito e depois tomo chás para a digestão. O que eu posso ter? Grata.

    Livia, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Lívia.
    Que bom que você está procurando ajuda. Normalmente em casos assim as pessoa têm dificuldade de perceber que algo não está bem, e aí é que está o perigo, pois pode agravar.
    Pelo que percebi, você não consegue se enquadrar nos sintomas dos problemas alimentares. Mas é assim mesmo, afinal, pode não ser sua área de estudo. Para todas as situações o diagnóstico após preencher alguns requisitos, outros precisam de mais informações, que chamamos de diagnóstico diferencial. Por isso, para o leigo, essa é uma tarefa impraticável.
    Seria muito importante que você se permitisse ir a um psicólogo que trabalhe com problemas alimentares para ajudar a entender o que está acontecendo com você.
    Nesses casos, uma das características é a dificuldade de reconhecer a realidade diante do espelho, por isso, os profissionais estudam para ajudar a mudar essa situação.
    É isso aí, desejo que você fique boa e muito saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Como eu posso me expressar melhor quando eu gozar? Meu namorado sempre me cobrar isso, mesmo que eu grite um pouco, ainda não é o suficiente, espero contar com sua ajuda.

    Gilmara, 21 Anos - Ver Resposta

    Gilmara, os gemidos, gritos sussurros são maniras de expressar o que estamos sentindo naquele momento. Algumas pessoas aprendem a se expressar e se sentem bem ao fazer isso. Outras pessoas tem dificuldades para isso ou não aprenderam a demonstrar dessa maneira o que sentem.
    Ao ouvir a pessoa demonstrar a emoção daquele momento, o parceiro (a) tem um retorno de que está ou não agradando, se continua ou não o que está fazendo. Sem contar que os gemidos são, para a maioria das pessoas, um estímulo, é excitante.
    Algumas pessoas têm dificuldades de de colocar para fora o que sentem, pois quem sabe, nunca puderam se expressar, ou não foram estimuladas o suficientes para perceber quão bom, importante e saudável é.
    Fazer teatro nessa hora, fingindo que está sentindo isso ou aquilo e por isso gemem ou gritam como se estivessem num trabalho de parto, não é bom, soa muito como artificial, e a outra pessoa perceberá e se sentirá mal.
    No seu caso, parece que você está sendo cobrada para se expressar de uma maneira que eu não sei se você não não sabe se expressar ou se não sente o suficiente para se expressar dessa maneira.
    É muito comum nos filmes pornôs as mulheres fazerem caras e bocas, gritos e gemidos se estarem sentindo. Aquilo é uma interpretação. Elas estão representando um papel. Algumas pessoas ao verem aquilo querem que o memso aconteça em casa. Não é bem assim.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

Contato

  • (11) 5092-3898
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail